Capa da Publicação

O que esperar do novo filme da Liga da Justiça?

-

Com a conclusão da trilogia de Christopher Nolan “Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge”, o interesse agora está se montando em o que esperar do recém anunciado filme da Liga da Justiça. Com o filme com um sucesso quebrador de records para competir, a DC Entertainment agora tem de trabalhar muito bem para entregar algo que possa rivalizar com o sucesso da Marvel Comics.

Por Vinicius Tavares → Com somente O Homem de Aço agendado para chegar antes do lançamento da Liga da Justiça com data provisória para 2015, a maioria, senão a totalidade das origens das personagens terão de ser apresentadas no pŕoprio filme. Agora, o que podemos esperar do filme? Temos alguns pensamentos…

Os Novos 52

Seguindo a ideia atual da DC Comics de fazer reboots e deixar uma linha de continuidade – com a Liga da Justiça posicionada novamente como seu título principal – faria sentido assumir a equipe recém re-imaginada. A primeira evidência já foi vista no trailer do Homem de Aço, com os trajes do Superman seguindo o novo design dos novos 52 sem cuecas por cima da calça.

Esta rota com certeza seriam vistos os membros principais, Mulher Maravilha, Superman e Batman envolvidos, Lanterna Verde, Flash e Aquaman para concluir o time; o menos conhecido Cyborg não parece que seria incluído. O primeiro arc do novo título estrelou Darkseid, um vilão icônico e relativamente simples (ex. encarnação do mal), entretanto suas semelhanças com Thanos da Marvel pode desqualificá-lo de ser o vilão por ora.

© DC Comics
Novo Superman

© DC Comics

 

 

 

 

 

 

 

 

Crise

A Crise nas Infinitas Terras é de longe muito pesada em continuações para uma adaptação direta para as telas, mas a ideia de abranger multiversos pode se tornar a base de uma aventura verdadeiramente heroica. Com o ameaçador, aparentemente imparável Anti-Monitor e uma ameaça para toda a realidade, que melhor maneira de reunir todos nossos heróis?

A rota de multiversos poderia oferecer um modo rápido e fácil de combinar continuidades discrepantes, dando assim à DC a oportunidade de trazer junto elementos dos filmes de Batman, Superman e Lanterna Verde já que os universos colidem na luta intensa por sobrevivência.

Crise nas Infinitas Terras

© DC Comics

Crise nas Infinitas Terras Img 2

© DC Comics

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A gangue da Injustiça

O núcleo da Liga da Justiça é algo meio que determinado, mas e sobre seus inimigos para o filme? Um time oponente contendo seus inimigos mais árduos seria um bom método de exibir as melhores qualidades de nossos heróis. Entrando com a Gangue da Injustiça.

A DC tem o benefício dos vilões mais icônicos da história dos quadrinhos. Lex Luthor requer pouco no caminho de introdução e o Batman oferece diversos mestres do crime – O Coringa, o Pinguim, Duas Caras, Mulher Gato, Hera Venenosa, Charada para nomear alguns – todos instantaneamente reconhecíveis até mesmo para os que menos conhecem HQs. O perigo aqui é que vilões demais podem facilmente realizar um desastre de filme de história em quadrinhos, e isso já foi feito no passado (estamos olhando para você, Homem-Aranha 3).

Gangue da Injustiça

© DC Comics

Gangue 2

© DC Comics

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Nova Fronteira

A reimaginação ganhadora de prêmios de Darwyn Cooke da Liga da Justiça parece madura para adaptação para um filme de origens. Amplamente elogiada pela sua caracterização (especialmente a frequentemente mal utilizada da Mulher Maravilha) seria um ótimo lugar para começar enquanto montam-se as fundações para a Liga da Justiça no filme.

Os criadores do filme podem desenhar em uma configuração característica e com estilo retrô da Era de Prata para criar um filme único, clássico e amigável para famílias que não tenta replicar os dias modernos da Marvel Studios ou os obscuros temas da trilogia dos Batmans feitos por Nolan. Existe um precedente para adaptações também, com uma bem recebida versão animada das séries lançadas em 2008.

Nova Fronteira

© DC Comics

Nova Fronteira

© DC Comics

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mas afinal, origem…? Quem precisa de origens?

Estamos olhando a diferentes modos em que a DC e a Warner Bros podem escolher para consagrar a Liga da Justiça, mas existe um argumento para pular todas as origens que potencialmente podem ter ritmos lentos, completamente. Snyder realizou a cena para Watchmen no espaço para os créditos de abertura. Não poderia uma montagem dessas origens bem familiares fazer o mesmo?

Imagine a cena: Uma imagem de Krypton despedaçado por um cataclisma. Um foguete sendo lançado. O jovem Kal-El descoberto pelos Kents. Rapidamente o mostram crescendo e sua estreia como o Superman e pronto. Método similar pode ser utilizado com a morte dos Wayne e o nascimento do Batman, e a saída da Mulher Maravilha da Ilha do Paraíso.

Os Vingadores tiveram o benefício de exibir suas origens em filmes anteriores, mas com um pouco de imaginação e algum respeito pela inteligência da audiência, um filme da Liga da Justiça poderia pular tudo isso de uma vez e ir direto ao ponto de contar a melhor ideia de que os criadores podem fazer.

Agora que a notícia acabou, aproveita para conferir o vídeo mais novo no nosso canal!

sobre o autor Vinicius Tavares

Engº. de Computação, finjo programar desde os 10 anos e agora cuido da TI daqui. Se você está lendo alguma notícia escrita por mim, todos da equipe provavelmente estão mortos.