Dragon Ball Super: Ep. 86 – O Grande Retorno do 17 e uma Referência Perigosa!

Capa da Publicação

Dragon Ball Super: Ep. 86 – O Grande Retorno do 17 e uma Referência Perigosa!

- – O capítulo dessa semana foi especial para qualquer fã de Dragon Ball! Não apenas vemos o retorno de um dos personagens mais queridos das sagas antigas, como também temos algumas referências bem interessantes.

Por Márcio Jangarélli → Seguindo muita antecipação, o momento chegou: muito, muito tempo depois da Saga dos Androides e do Cell, finalmente o 17 reapareceu – oficialmente – em Dragon Ball! E vamos combinar: foi uma reintrodução digna.

Antes de continuar, um pequeno resumo da trama: estamos nos passos finais do Goku em sua jornada para recrutar os lutadores mais fortes do Universo 7 para o Torneio de Poder, organizado pelos Zen-Oh’s e o Daishinkan, que ameaça toda a existência.

Nos últimos episódios, o protagonista passou pelo Gohan, pelo Kuririn e a 18, Piccolo, Majin Boo, Mestre Kame, Vegeta e, enfim, ele chegou ao último – se não contarmos o Tenshinran – de sua lista: o irmão da 18, que ele nunca chegou a conhecer pessoalmente, o Androide 17.

Oficialmente o 17 está longe das histórias desde a Saga do Cell, quando foi ressuscitado pelas Esferas do Dragão e resolveu seguir um caminho de redenção. Porém, em Dragon Ball GT, ele possui seu próprio arco, a “Saga do Super 17”, quando ele se torna um inimigo ainda mais perigoso do que era na época Z.

Como aqui não consideramos GT, o destino do 17 é bem parecido com o da 18; ele construiu uma família, tem três filhos, dois deles adotados, e trabalha como protetor de uma ilha que abriga animais em extinção no planeta. Bem legal, né?

O melhor é que ele não parou e está EXTREMAMENTE poderoso. Era de se esperar isso, na verdade, porque o anime não traria um personagem tão querido assim à toa. O Goku chega, se apresenta, temos uma breve recapitulação da história do ex-Androide e então os dois se enfrentam. Para quem não lembra, o 17 foi absorvido pelo Cell justamente quando ele estava procurando o Goku, o que impediu que os dois se conhecessem.

Uma coisa importante aqui, para sanar algumas discussões que vi nos comentários: porque o Goku, com poderes realmente divinos, está batalhando com todo esse pessoal? Porque esse Goku perdeu um pouco da maturidade que adquiriu durante a saga Z?

De acordo com o próprio criador da trama, Akira Toriyama, o anime de Dragon Ball Z mostra um Goku diferente do original. O personagem se tornou heroico demais e ele não é exatamente um herói. Super vem desconstruindo isso, retomando a ideia do protagonista ser um aficionado, realmente viciado, que põe tudo a perder, por uma boa luta. Esse é o núcleo primordial do personagem: ele ama encontrar inimigos fortes que lhe rendam uma boa batalha.

No caso do novo arco, isso também entra na trama: além de amar batalhas, mesmo que não use seu pode completo – que pode acabar destruindo a Terra – o Goku também está reunindo os melhores dos melhores, então precisa testar as capacidades dessas pessoas. Querendo ou não, a coisa é justificada.

Voltando para o foco: o 17 está mais poderoso do que nunca! Ele luta tranquilamente contra o Super Saiyajin Azul do Goku – lembrando que o protagonista não está usando toda sua força – e mostra que continua um dos personagens mais legais de Dragon Ball, sem perder a pose em momento algum.

Mais bacana ainda é que teremos uma pequena história para o recrutamento do 17, quando ele, niilista que é, não liga tanto assim para o universo sendo apagado. No fim do episódio vemos aliens chegando à Terra para caçar uma das espécies mais raras da ilha do rapaz, o Minotauro, e o vídeo promocional do próximo capítulo mostrou o Goku se juntando a ele para mandar os invasores para longe.

Alguns pontos que precisam ser notados: primeiro, a referência mais explícita e perigosa do episódio, com o Dende falando sobre o Oob. Uma breve explicação para vocês, jovens esquecidos: quando o Goku está para finalizar sua luta contra o Kid Boo, ele deseja que possa encontrar o monstro em sua próxima reencarnação. Assim, em GT, conhecemos o Oob, que é o Boo retornando como uma criança humana incrivelmente poderosa, mas sem a parte maligna.

Esse é um acerto na cronologia, quando o Oob tem quase a idade da Pan, que já nasceu em Super. Um ponto legal é que o Dende diz que o Goku precisa encontrar essa criança em breve para ajudá-la desenvolver seus poderes, afinal, tudo que menos precisamos, depois de uma ameaça universal, é o retorno do Boo maligno, né?

Mas não foi só essa referência que o Dende fez. Ele também fala sobre os níveis de poder do 17 e o Goku repete depois, dizendo que se o ex-Androide ainda fosse um inimigo, ele daria muito trabalho; esse é um pequeno aceno à história do Super 17 em GT! Não que isso signifique alguma coisa, mas é legal ver como eles não esqueceram completamente da existência desse anime, quando essa fase marcou a vida de muitos fãs.

Agora é esperar pela próxima semana, com a parceria entre Goku e 17 – que deve ser algo foda. O time está quase completo e a arena está quase pronta; como diabos essa saga vai acabar? As coisas nunca estiveram tão perigosas quanto agora.

E aí, o que achou do episódio? Foi um retorno digno do 17? Estavam com saudades do personagem? Não esqueça de comentar!

Confira nossa galeria com imagens de Dragon Ball Super:

Você pode assistir os novos episódios de Dragon Ball Super todos os sábados, pela Crunchyroll. Não perca nossa review semanal todas as segundas, aqui na LH!

Agora que a notícia acabou, aproveita para conferir o vídeo mais novo no nosso canal!

sobre o autor Márcio Jangarélli

Assessor de Comunicação. Jornalista. Senhor dos Sonhos que não sonha. Madonna de Jakku.