Capa da Publicação

Jovens Titãs – Artista brasileiro cria versão modernizada da equipe!

- WHEN THERE’S TROUBLE, YOU KNOW WHO TO CALL…

Por Felipe de LimaNa sequência das animações exibidas durante a semana nas manhãs do SBT, Os Jovens Titãs foi uma das que mais marcaram. Chegar da escola e assistir à equipe adolescente numa representação totalmente diferente dos outros desenhos da DC era sagrado na época. Justamente por trazer essa pegada mais irreverente da equipe da DC, a série animada se tornou um sucesso absoluto, que rendeu um total de 65 episódios e um filme.

Mas e se essa abordagem irreverente se tornasse ainda mais casual? Foi isso que o artista brasileiro Gabriel Picolo propôs ao criar uma série de ilustrações incríveis, mostrando um lado dos Jovens Titãs que geralmente é abordado superficialmente nos quadrinhos e derivados.

“Para mim, os Jovens Titãs têm esse potêncial que eu não vejo em outros heróis da DC. De ainda não serem heróis completos, de estarem na metade do caminho”, explica o artista justificando a escolha da equipe para seu projeto. “Você pega uma história da Liga da Justiça e tudo bem eles só fazerem coisas de super-heróis, porque eles são lendas vivas. Agora, os Jovens Titãs não. Eles têm esse lado humano, esse lado adolescente e que é muito pouco explorado na DC. Eu acho que o momento em que mais exploraram isso, que mais teve desenvolvimento de personagem, foi no desenho dos Jovens Titãs e é por isso que eu gosto tanto e é isso que eu tento levar para a minha própria série”.

Gabriel ficou conhecido por causa do projeto 365 Dias, onde durante todo o ano de 2014, ele publicou uma nova ilustração por dia nas redes sociais. Contudo, seu trabalho era muito diferente do que é hoje. “Se você voltar ali no meu feed tem umas coisas que são muito diferentes, sabe? Quase irreconhecíveis”, diz ele.  

Em 2016, Gabriel recebeu um e-mail da DC Comics pedindo para que enviasse seu portfólio para uma seletiva. “Eu não entendi porquê mandaram esse email, mas eu mandei meu portfólio de qualquer maneira e aí fui recusado”, ele conta que a resposta da DC, mesmo que negativa, trazia dicas sobre como se aproximar um pouco mais da proposta da editora norte-americana. “O que eles disseram foi o seguinte: A gente precisa ver mais poses dinâmicas no seu trabalho – algo que na época eu não tinha, não fazia esse tipo de coisa – e a gente precisa ver mais personagens da DC”.

Foi essa recusa que fez o ilustrador voltar sua atenção às histórias em quadrinhos e, principalmente, aos Jovens Titãs. Gabriel conta que voltou a assistir o desenho da equipe, em 2016, e que foi assim que resgatou seu amor pelos personagens. “Quando eu recebi esse email de retorno, eu fiquei meio… Não, eu fiquei muito na bad. Fui recusado, sabe? Não tá bom o bastante, daí acendeu uma labareda”.

Além do traço particular, com inspirações orientais e localização ocidental, a casualidade e humanização dos personagens é a marca registrada do trabalho de Gabriel. Para chegar na abordagem dos Jovens Titãs que usa em suas zines*, o artista estudou cada membro da equipe, evidenciando traços pouco explorados da personalidade dos heróis. “Algumas coisas eu já tinha em mente”, diz ele explicando o processo de reconstrução da equipe. “Eu já tinha essa ideia de que como a Estelar é uma alienígena, ela vai curtir tudo associado a extraterrestres, ela vai achar muito engraçado que os seres humanos ainda estão descobrindo essa coisa,” ele continua, “Já o Robin tem aquela coisa da segunda identidade, o Red X, daí eu queria colocar isso. O Mutano é mais fácil, ele tem essa coisa dos animais, pode se transformar em qualquer criatura, mas não no ambiente casual, o Garfield vai querer ter vários animais de estimação porque ele quer ficar perto de bichos. Daí eu fui estudando isso aos poucos, adaptando e mudando muitas coisas”.

Além da publicação de uma história em quadrinhos com temática astrológica, Gabriel ainda tem planos para os Jovens Titãs futuro. “Para o ano que vem, eu tenho algumas ideias de inserir mais personagens nesse meu universo alternativo de personagens mais casuais da DC. Tem muita gente pedindo a Barbara Gordon, tem gente que tem pedido o Robin Vermelho, tem gente pedindo para colocar mais do Dick Grayson como Asa Noturna.” Junto do sucesso nas redes sociais, outro motivo para continuar explorando a série em 2018, segundo o ilustrador, é dar fim à algumas tramas. “Mesmo na zine, eu não tive tempo de fechar tudo que eu queria”, ele conta. “Então, eu coloquei muitos cliffhangers nos plots que imaginei. Tanto que no final da zine tem uma mensagem dizendo que eu pretendo continuar isso no ano que vem”.

Você poderá encontrar Gabriel Picolo durante a CCXP 2017. Ele estará presente em todos os dias do evento na Artist’s Alley, mesa G 23/24. E pode se preparar, porque ele vai levar uma “Compilação da zine, com tudo que foi feito dos Jovens Titãs até o momento e vários prints, mas meu estande será 70% Jovens Titãs”, finaliza o ilustrador.

Confira o a série na galeria abaixo:

Quer conhecer mais do trabalho do Gabriel? Você pode encontrá-lo no twitter, instagram e facebook.

*Zine é um tipo de publicação independente, geralmente usando a apropriação de histórias, propriedades intelectuais ou textos, de terceiros. O termo também possui a derivação fanzine, que consiste num produto feito por fãs e entusiastas.

Agora que a notícia acabou, aproveita para conferir o vídeo mais novo no nosso canal!

sobre o autor Felipe de Lima

Pelo poder da verdade, eu, enquanto vivo, conquistei o universo. Me segue no twitter @tearsgodown