Legends of Tomorrow: 2.14 – O Lado Lendário da Lua!

Capa da Publicação

Legends of Tomorrow: 2.14 – O Lado Lendário da Lua!

- – Nessa semana, Legends of Tomorrow foi pro espaço! E não da maneira que estamos acostumados com a série: da forma mais clássica, nos anos 70, na missão da Apollo XIII.

Alianças duvidosas, chuva de meteoros, disputa de liderança e tudo que Legends sabe fazer de melhor.

Por Márcio Jangarélli → Seguindo uma viagem para o século 30, um rolêzinho em Camelot e um encontro com dinossauros, não tinha lugar melhor para Legends pousar dessa vez que a Lua! Sim, senhores. A época da noite é 1970, em plena corrida espacial.

Mas por que eles foram parar na Lua? A Lança do Destino, claro. O último pedaço foi deixado com o Comandante Gládio original, nos anos 60, e ele escolheu o lugar mais inteligente, dentre todos os outros, para esconder sua parte do artefato: a bandeira americana (supostamente, alô teoria da conspiração) deixada no nosso querido satélite natural.

A trama do episódio é bem simples, mas é super divertida, assim como todos os capítulos dessa temporada tem sido. A lasca da Lança está na Lua, o Flash-Reverso se infiltrou na missão do Apollo XIII para buscá-la e as Lendas vão atrás.

Com todas as partes reveladas, o restante da temporada deve se desenvolver mais rápido – sem trocadilhos com o Reverso. Está 2×2: Lendas com dois pedaços e Legião com as outras duas partes.

É legal ver como exploraram o Comandante Gládio e a Amaya aqui e o relacionamento deles com o Nate. Em um ponto você tem o avô do rapaz, que poderia voltar no tempo e meio que consertar a família do herói – ou não, nunca se sabe o que o tempo reserva – mas isso mudaria toda a história.

No outro está a Amaya, o amor do Nate, que está deslocada no tempo e, no final da aventura, deveria voltar para sua própria época. Por fim, em menor escala, ele é um historiador e tem que debater internamente sua própria ética. O Comandante Gládio das Lendas foi uma das melhores inclusões da série nessa segunda temporada e todos os arcos do personagem estão bem construídos.

Outra parte ótima foi Mick, Stein e Jax na NASA. O trabalho dos três foi a parte mais engraçada dessa semana, principalmente com o Martin soltando seu vozeirão, em um momento tenso, para cantar “Banana Boat Song” como distração. Sensacional.

Dentro do Waverider, disputa de poder – ou quase. Rip e Sara se bicam durante o episódio, quando Hunter tem que lidar com o posto de ex-capitão, vendo que a ex-assassina e dona da série fez um trabalho muito melhor que ele no cargo. No fim, eles se acertam, mas vale ressaltar um ponto: quando o Rip reconhece que a Sara fez um trabalho muito melhor que ele, ela nem se faz de humilde e só segue a vida. 😀

Ray teve seu momento de glória também, enfrentando o Reverso, sem poderes, no espaço (foi uma luta fraquinha, mas o momento foi bacana) e confrontando o vilão ao longo do episódio. Fazia um tempo já que ele não não saía do papel de alívio cômico ou da parte brega do capítulo.

E precisamos falar de Perdido em Marte! O Ray fez duas referências hilárias sobre o filme – que, se você parar para pensar, ele não deveria conhecer – quando está preso na Lua.

Assim, com Moonshot, todas as peças estão posicionadas para o arco final dessa temporada. Todas as partes da Lança do Destino foram encontradas, as Lendas descobriram a motivação por trás do Reverso, Amaya viu o destino de sua vila e o Rip reencontrou seu lugar na equipe.

Agora é esperar para ver onde será a pista de pouso das Lendas na próxima semana.

Confira nossa galeria com imagens de “Moonshot“:

Legends of Tomorrow vai ao ar todas as terças, pela The CW. Não percam nossas reviews semanais sobre a série, todas as quintas, aqui na LH!

Agora que a notícia acabou, aproveita para conferir o vídeo mais novo no nosso canal!

sobre o autor Márcio Jangarélli

Assessor de Comunicação. Jornalista. Senhor dos Sonhos que não sonha. Madonna de Jakku.