Capa da Publicação

Tokyo Ghoul – Diretor do filme em live-action fala mais sobre a história e possível continuação!

- – Cineasta japonês está animado com a repercussão do filme!

Por Gustavo Fiaux → Um dos mangás e animes mais queridos da última década, Tokyo Ghoul está prestes a ter sua adaptação em live-action lançada nos cinemas americanos, após ter estreado no Japão no final de julho. O longa foi dirigido por Kentaro Hagiwara, um cineasta japonês famoso por ter trabalhado um bom tempo com publicidade. Em uma entrevista ao Comic Book, ele acabou falando mais a respeito do projeto e como foi a concepção estilística do longa.

De início, Hagiwara falou como foi chamado para fazer o projeto, e disse que foi indicado por um produtor que trabalhava na mesma companhia publicitária que ele. Apesar de não ter um conhecimento prévio da história do mangá, ele acabou se apaixonando pela trama enquanto pesquisava para o filme: “Eu senti muita empatia pelo conflito de Kaneki. Vale a pena viver se isso for considerado um tabu e põe em risco sua dignidade humana?”

No que diz respeito à sua intenção estética com o filme, Kentaro disse que o maior desejo e desafio foi representar bem a beleza da arte original do mangá: “Eu quis expressar bem a beleza da série no live-action. Tentamos renderizar imagens suaves, pálidas e sutis, que você pode encontrar em um shojo, em contraste aos visuais grotescos e bizarros.”

Na história original, criaturas super-poderosas chamadas ghouls vivem entre humanos normais. Apesar de serem discretos, eles possuem super-força, precisam devorar carne humana e também possuem um órgão especial, responsável pela defesa do corpo – chamado kagune. Kentaro também falou um pouco sobre a concepção visual desses órgãos:

“Era necessário criar um método em que parecesse que os kagunes saíam de dentro das pessoas, de verdade. Por exemplo, de início eu queria que eles fossem luminosos, mas para um organismo vivo emitir luz, precisa haver uma necessidade, sabe? […] Eu também pensei no peso deles. Não importa se um ghoul tem a força muito maior que a de um ser humano, todos os atores que escalamos tem um físico mais esbelto, então se eu os fizesse muito grandes, iria parecer que seus corpos não iriam suportá-los. Para isso funcionar, ajustamos seu tamanho, e no caso de Hinami, onde o tamanho é absolutamente essencial, encontramos uma forma de fazer com que o kagune parecesse ter vontade própria.”

Em seguida, o cineasta foi questionado sobre o medo em ter o filme falhando enquanto adaptação de um mangá, uma vez que boa parte dos live-actions baseados nesse tipo de história tendem a ser negativados. Ele disse que se guiou pelas críticas de outros projetos, tentando fazer algo mais realista e que traduzisse melhor o visual da obra original para as telas.

Por fim, Kentaro ainda foi questionado sobre a possibilidade de uma continuação do filme, e sua resposta foi bem positiva: “Eu adoraria [fazer um]. Espero que as coisas nos levem em direção a isso.”

Abaixo, você pode conferir imagens do longa:

Tokyo Ghoul está tendo exibições limitadas nos Estados Unidos. No Brasil, ainda não se sabe quando e se o filme será lançado.

Agora que a notícia acabou, aproveita para conferir o vídeo mais novo no nosso canal!

sobre o autor Gustavo Fiaux

19, Cineasta (em formação). "Would you put day drinking under experience or special abilities?"