Capa da Publicação

Jason David Frank fala sobre o reboot de Power Rangers, Stan Lee e muito mais!

- – Durante a Nasville Wizard Comic-Con, o ator Jason David Frank (famoso por seu papel como Ranger verde na primeira temporada de Power Rangers) deu uma longa entrevista ao Comic Book, discutindo vários temas. Confira!

Por Gus FiauxComo você começou a atuar em Power Ranger?

Eu era um ator de Hollywood, ganhei um roteiro de audição para o papel e apenas li e ganhei o papel. Sabe como é, era sobre karatê, minha área, então era exatamente o que eu estava procurando.

Você está envolvido no reboot de Power Rangers de alguma forma?

Provavelmente estarei envolvido. Falaram comigo sobre isso. Eu não sei o quanto eu estarei envolvido, mas pelo menos algumas aparições especiais vão acontecer.

Já ouviu qualquer informação sobre roteiro e elenco?

Não, não sei de nada além do que Roberto [Orci] falou. Eles são muito calados sobre esses projetos, e isso é ridículo. Eu nem mesmo sei sobre meu envolvimento. Eles falaram sobre eu estar envolvido e como os fãs amariam me ver lá. Sabe, originalmente estávamos falando sobre uma série do Ranger Verde, mas graças ao filme, eles não querem ofuscar ou suprimir o apetite dos fãs, o que é um pouco desapontador, mas há possibilidades. Eu só acho que eles estão tentando assegurar minha participação no filme.

Há planos para outro filme ou para TV em que você esteja envolvido?

Estamos filmando “My Morphin Life”. Terminamos de filmar a segunda temporada, que é fenomenal. A primeira era mais voltada ao canal do Youtube, enquanto a segunda é voltada para a rede CONTV, então haverá muita diferença na qualidade da história. Mantenha em mente que a primeira temporada é uma websérie, e a segunda será mais reality show. Fizemos um duelo do Ranger Verde com o Ryu que será incrível. Ganhamos quase sete milhões de visualizações na luta do Ranger Branco com o Scorpion. E a do Branco contra o Ryu será lançada ainda esse ano. O novo episódio de Megaforce será liberado em outubro. E estamos trabalhando num projeto chamado Taz Kayden, que é algo sobre operações especiais. Fizemos o primeiro episódio. Foi uma das melhores cenas de luta que já fiz em minha vida.

Em quantas convenções você aparece por ano, e o que te leva a aparecer na Wizard World?

Eu adoro a organização do Wizard World. Eu fiz cerca de 35, 40 aparições. E cerca de metade delas são do Wizard World. Eles são como uma família para mim. E são muito organizados. Todos tem uma posição, e não há uma hierarquia desenvolvida na companhia em si, o que significa que os fãs sabem o que vai acontecer. E é isso que acho importante. Muitas Comic-Cons são sobre negócios e movidas por dinheiro, e às vezes os fãs se perdem, e eu gosto de trabalhar com o Wizard World. Teremos 22 apresentações no ano que vem, e estamos focando em várias áreas diferentes. E o Wizard World tem crescido a cada ano, de 16 apresentações para 22, quem sabe o que virá depois. Mas eles continuam a crescer e isso é bom.

No circuito de convenções, entre as estrelas convidadas, quem mais te impressionou e por quê?

Bem, eu acho que Stan Lee. Ele é ótimo para seus fãs. Sempre tem um sorriso no rosto. E é ótimo pra mim também. Fez uma grande campanha para My Morphin Life. Você vê a energia que eu passo para os meus fãs, e a energia que ele passa para os fãs dele, e eu admiro o cara. 91 anos depois e eles ainda está distribuindo autógrafos e fazendo os fãs sorrirem. E você nunca ouvirá nada ruim sobre Stan Lee, isso é importante nesse negócio.

Qual seria seu papel dos sonhos em um filme da Marvel ou da DC?

Sabe, nunca pensei nisso porque sou um super-herói próprio. Eu sou o Ranger Verde, então nunca pensei em fazer o papel de outro super-herói. Óbvio, amo o Wolverine, mas não me encaixo no papel. Há muitos papéis nos quais eu não me encaixo. Se fizessem isso de novo, eu adoraria fazer O Corvo. É mais minha área, mesmo sabendo que não é relacionado à Marvel ou à DC. É dificil de se ver como super-herói quando já se é super-herói.

Você tem algum filme de super-herói favorito? Já viu Guardiões da Galáxia?

Guardiões da Galáxia. Eu gostei disso. Gostei porque Michael Rooker é um amigo próximo, e ele traz muito para a cena. Ele é um ser humano muito bom e decente além de ser ator. Ele é artista marcial. Eu e ele nos damos bem. Ele te faz sentir bem, e faz todos os fãs se sentirem bem. E honestamente, ele seria a outra pessoa que eu escolheria como quem é melhor para os fãs. Ele estava no filme. Conheço Karen, ela é minha amiga também. Conheci Bautista. Além de conhecer o pessoal do filme, achei que foi engraçado. Minha namorada gostou e amou o Groot, e é uma boa história. Mostra o quanto se pode atuar e passar a energia do personagem com apenas uma palavra. Não é sobre palavras que você monta seu personagem ou algo do tipo. É sobre como as pessoas se sentem, e Groot é como, você sente sua atuação mesmo sabendo que é uma dublagem, mas sente o espírito humano o encarnando ao proteger sua família. Achei muito interessante como todo o filme acabou sendo. E achei bom. Mas ultimamente gosto do Wolverine. Ele sempre foi meu favorito desde que eu era criança. Foi o primeiro quadrinho que eu colecionei. Tenho a primeira aparição dele em O Incrível Hulk. Tinha uma grande coleção que vendi para comprar minha primeira escola de karatê. Grande coleção, livros realmente caros. Comprei minha escola e minha escola me levou aos Power Rangers, então estou de volta ao mundo heroico. É um ciclo completo.

Quais são os quadrinhos que você lê atualmente?

Ainda sou um fã antiquado dos X-Men. Não acho que saí disso. Amo Noturno e Demolidor é outra coisa curiosa. Ou eu era interessado pelo Demolidor ou não era. Atualmente, muitos fãs me dão revistas do Wolverine, e eu gosto de ler X-Men. Gosto de ver como os quadrinhos progridem. É surpreendente para mim, só que, quando eu era criança… tenho 41 anos, mas quando era criança, quadrinhos custavam só 65 centavos. E você só tinha duas opções. Ou era fã de Marvel ou de DC. E eu era fã da Marvel. Digo, amo a DC, mas nunca colecionei mesmo nada da DC. Acho que porque os quadrinhos da Marvel, naquela época, tinham mais valor que os da DC. Alguém pode argumentar contra isso, mas é meu ponto de vista. Hoje em dia, você entra em uma loja de quadrinhos e vê quantas editoras existem e é impressionante, e é muito confuso. Wolverine não é só Wolverine. É Wolverine e muitas coisas diferentes. Eles saturaram o mercado do que os quadrinhos costumavam ser. É minha opinião. Eu costumava colecionar uma série chamada Quarteto Futuro. Colecionava e lia coisas diferentes. Sempre teria algo para comprar. Apareço nas Comic-Cons, mas raramente ando por elas. Sempre tento algumas vezes, mas na maioria, estou na minha mesa dando autógrafos. É legal ver os cosplayers. Participo de todos os concursos, então posso ver os cosplayers, e eles progrediram muito ao longo dos anos, assim como as fantasias, acessórios e etc. Estamos fazendo isso no Wizard World, todos os sábados pelas próximas três apresentações. Eu serei um dos juízes.

Qual episódio de Power Rangers é seu favorito?

“Fighting Spirit” em Dino Thunder, apenas porque luto contra meus Rangers passados. É provavelmente meu favorito.

Jason continuará aparecendo nas Wizard World Nasville Comic-Con, a começar dessa sexta, dia 26.

Fonte: Comic Book

 

Agora que a notícia acabou, aproveita para conferir o vídeo mais novo no nosso canal!

sobre o autor Gus Fiaux

20 anos, cineasta. Jovem Vingador honorário, Fugitivo em negação, estagiário na Alias Investigações e mutante nível ômega nas horas vagas. || @gus_fiaux