Capa da Publicação

O que comprei de brasileiros no Artists Alley da CCXP e que você pode se interessar!

- – Artistas nacionais de qualidade e que merecem sua atenção!

Por Felipe Vinha → Mais um grande evento, mais uma leva de artistas nacionais, entre novatos e veteranos, expondo seus trabalhos diretamente aos consumidores, de maneira independente, “metendo as caras”, como temos no ditador popular, no chamado Artists Alley.

Como também é de costume, resolvi conferir algumas mesas e ver o que tinha de bom por lá. E acredite, o que não faltou foram mesas de desenhistas e roteiristas muito talentosos, com trabalhos incríveis e muito a oferecer.

Infelizmente dinheiro não dá em árvore, por isso coloquei uma “meta interna” para gastar por lá e ver o que conseguia pescar, entre uma mesa e outra, para contar um pouco aqui, neste artigo, e te recomendar boas aquisições. Vale lembrar que a CCXP acabou, mas todos os participantes do Artists Alley vendem suas produções pela Internet!

Sem mais delongas, vamos às dicas.


Kaleidoscope Vol. 1

A autora Nathalia Adario conta a história de uma menina que obtém o poder de “garota mágica”, mas não necessariamente se dá bem por isso. Sim, aquele gostinho de “Madoka Magica” no ar, para quem já conhece. O enredo, porém, é bem original e tem situações inusitadas. O traço de Adario é leve e a coloração, em tons de verde, preto e branco, dá um ar retrô bem interessante ao material. A autora explicou que este é o primeiro volume, e automaticamente o início da história, mas o enredo é quase que totalmente fechado, deixando apenas um brecha para a eventual continuação.

Kaleidoscope deve agradar quem curte mangá, mas não leve tanto a sério esta categorização. O traço da autora é bem “universal” e não se prende tanto a características japonesas. Na verdade, em alguns momentos, ele lembra muito desenhos norte-americanos mais atuais. No fim das contas, é ideal para quem gosta de algo descompromissado.

Você pode encontrar mais de Nathalia Adario aqui.

Combo Rangers Sketchbook

Os Combo Rangers não são nem um pouco anônimos, eu sei. A criação de Fábio Yabu está aí há eras, desde antes do formato atual da Internet, quando ainda não existam redes sociais ou sequer YouTube. Mas eu comprei este Sketchbook, que nada mais é que um livro de arte, por alguns bons motivos.

O primeiro deles é que há muitas artes de Michel Borges por aqui. Além de ele ser o atual desenhista de Combo Rangers, nos encadernados que saíram pela Editora JBC, ele também será o responsável pelo mangá brasileiro de Jaspion, clássico herói do Tokusatsu japonês. Além disso, há histórias inéditas e eu adoro o grupo – sem falar nas tirinhas curtas, de outros desenhistas. É um material mais voltado para colecionadores e para quem quer ter mais da arte de Borges na sua estante, para quando Jaspion chegar.

Você pode encontrar mais de Michel Borges aqui.

Faz Parte da Vida

O livro Faz Parte da Vida traz uma coleção de tirinhas em quadrinhos da autora Vi Marchetti, designer e artista de mão cheia, que narra fatos de seu cotidiano, com um humor super leve e gostoso de ler. Na verdade, eu não comprei esta publicação na feira, mas sim resgatei a minha cópia por lá. Eu curti tanto o trabalho de Marchetti que apoiei o livro quando estava em financiamento coletivo, com previsão de entrega justamente na CCXP.

Apesar de não seguir um traço oriental, as tirinhas têm um estilo meio que “Yon-Koma”, aqueles mangás com histórias completas em quatro quadrinhos simples por páginas, e tratam de situações que todos nós vivemos: passar raiva jogando videogame, redes sociais, cuidar de bichinhos e até, bem… lavar louças. É uma publicação bem fácil de se criar identificação, e por isso mesmo fácil de aproveitar e se divertir.

Você pode encontrar mais de Vi Marchetti aqui.

Lobo Mau Vol. 1 e 2

Lobo Mau é uma livro em quadrinhos bem diferente do que estamos acostumados, a começar pelo fato de ele não ter diálogos. “Bem, então deve ser chato?”. Muito pelo contrário! Contar uma história sem usar palavras é uma arte que poucos dominam, mas o autor Dani Bolinho consegue fazer isso de maneira até bem adequada, principalmente pelo seu traço leve.

A história é centrada no personagem principal, o próprio lobo, que se apresenta ao leitor como um “lobo solitário”, mas que na verdade é “gente como a gente”. Vive, sofre, passa por momentos bons e ruins, com uma narrativa que navega entre o leve e o forte de maneira natural.

Você pode encontrar mais de Dani Bolinho aqui.

O Gato e sua Lua

Um álbum que mais se assemelha a grandes “Graphic Novels”, tamanha a qualidade gráfica do negócio. O trabalho aqui também é de Dani Bolinho na arte, mas com roteiros de Leonardo Himura. A história é super simples, curta, mas cativante. Ela narra o encontro de uma menina e um simpático gatinho, que se torna algo revelador.

O legal de O Gato e sua Lua é que o texto fica em uma página, enquanto as ilustrações estão na outra. Mas é possível acompanhar a história lendo apenas um ou outro – o ideal, porém, é acompanhar os dois, claro. Mesmo assim, isso só prova o quão bem pensada foi a obra.

Você pode encontrar mais de Leonardo Himura aqui.

Quack Vol. 1

Quack é outra publicação que é até bem conhecida, mas que merece todos os elogios. Este é um legítimo mangá “shonen brasileiro”, criado pelo autor Kaji Pato com muito bom humor, traços incríveis, cenas de ação e tudo o que uma publicação deste tipo pede e merece.

A história é focada em Baltazar, o mais novo de uma lendária família de aviadores, e seu companheiro, o debochado e mal-educado pato Colombo. É isso mesmo: um pato desbocado. Não é necessário falar mais nada, apenas leia, quando puder!

Você pode encontrar mais de Kaji Pato aqui.


Estas foram apenas algumas das sugestões! Em futuros eventos, trarei mais novidades e dicas de artistas nacionais promissores, para que vocês possam acompanhar!

Confira também:

Agora que a notícia acabou, aproveita para conferir o vídeo mais novo no nosso canal!

sobre o autor Felipe Vinha

Já tentei salvar o mundo de uma invasão alienígena, mas hoje me contento em ser jornalista. Gosto de quadrinhos e suas adaptações na TV ou cinema, animes, tokusatsu, games (de luta principalmente) e tecnologia. Vamos trocar uma ideia no Twitter @felipevinha