Capa da Publicação

Os anos 80 são eternos!

- – Uma década cheia de boas lembranças.

Por Guilherme SouzaExiste algo místico na cultura POP dos anos 80, que nos fascina e que nos encanta até hoje, mesmo para aqueles que não viveram nessa década tão rica e cheia de lembranças inesquecíveis.

Não é surpresa pra ninguém que os anos 80 foram a fonte de inúmeros lançamentos memoráveis na indústria da música e do cinema norte-americanos, a prova disso, é que até hoje, ainda não nos cansamos de assistir reprises de filmes e séries dessa época, além de ficarmos extasiados com cada novo material que é produzido com base nos conceitos oitentistas.

Nos livros de história da escola, é comum estudarmos guerras, períodos de colonização, impérios antigos, mitologias e etc, mas para a indústria do entretenimento, parece que o cotidiano americano e o que foi produzido nos anos 80 é quem são as verdadeiras Joias da Coroa. Não existe uma explicação exata do porque não termos enjoado de filmes como De Volta Para o Futuro, Quero Ser Grande, A Morte lhe Cai Bem, Curtindo a Vida Adoidado, O Clube dos Cinco e tantos outros “clássicos da Sessão da Tarde”, mas o que podemos afirmar com certeza, é que eles transmitem um sentimento que vai além da nostalgia.

Com isso em mente, é óbvio que Hollywood se aproveita do afeto que essas produções transmitem para implementá-las em produções novas. Se pararmos pra pensar, estamos cercados por produções atuais que bebem da fonte dos anos 80. IT: A Coisa, Jogador Número 1, Mulher-Maravilha 1984, Shazam!, Bumblebee e Stranger Things são apenas alguns dos exemplos que podemos citar que se encaixam nesse nicho.

Ao que parece, não existe um limite para utilizar referências dos anos 80, na verdade, Jogador Número 1 comprova isso perfeitamente, já que muita gente gastou inúmeras horas tentando decifrar todas as referências contidas no longa, sendo elas dos anos 80 ou não. O mais legal de tudo, é que esse sentimento bom transmitido por essa década inesquecível, não se limita somente ao campo visual, já que é impossível não se arrepiar ao ouvir Jump do Van Halen, ou não cantar junto de Girls Just Wanna Have Fun da Cindy Lauper, o que mostra o quão rica e atemporal essa década foi em termos culturais.

Ao falar um pouco sobre a decisão de contar a história do segundo filme da Mulher-Maravilha na década de 80, a diretora Patty Jenkins revelou que tomou essa decisão, pois “a década de 80 remete ao melhor e ao pior da humanidade.” A declaração da diretora se deve ao fato de que os anos 80 foram pano de fundo para a Guerra Fria entre Estados Unidos e União soviética, tema que será abordado no novo filme da princesa das amazonas.

Por mais que os anos 80 também tragam lembranças ruins, não podemos ignorar que parte da declaração de Jenkins afirma que a década remete ao melhor da humanidade, o que corrobora com as boas lembranças que temos até hoje do que foi produzido naquela época.   

Outra produção que irá se beneficiar bastante dos anos 80 é Bumblebee, primeiro filme derivado da franquia Transformers. Por mais que os robôs alienígenas estejam nos cinemas há bastante tempo, essa será a primeira vez que a franquia irá explorar as raízes dos bonecos Hasbro, que entraram em circulação na década de 80. Ao que parece, o novo filme entrará com força total no passado e se apoiará nos conceitos originais dos brinquedos para sustentar o período de tempo em que o filme se passa.

Ao falarmos sobre Stranger Things, não podemos ignorar o fato de que, por mais que a série tenha uma história envolvente e um elenco muito competente, o grande fator por traz do sucesso da produção é o fato dela se apoiar totalmente em conceitos e referências de sucessos dos anos 80.

Na segunda temporada da série, isso fica ainda mais claro, já que os irmãos Duffer, criadores da série, fizeram questão de espalhar diversas referências diretas aos materiais da época.

Com todo esse apego da indústria e dos fãs pelos anos 80, podemos chegar à uma conclusão: Referenciar os anos 80 é garantia de sucesso. Não sabemos até quando as pessoas ainda continuarão apoiando essa tática, já que, se saturado, tudo enjoa, contudo, parece que ainda vai demorar um pouco para sairmos desse looping temporal. Enquanto isso, nos resta aproveitar as lembranças que essa década maravilhosa nos trazem e torcer para que toda essa aura estabelecida no passado continue sendo mantida e respeitada pelas futuras gerações.

Fique com imagens dos bastidores de Mulher-Maravilha 1984:

Agora que a notícia acabou, aproveita para conferir o vídeo mais novo no nosso canal!

sobre o autor Guilherme Souza

Outra grande manchete: 'Água, molhada!'