Capa da Publicação

A Cruzada das Crianças – Uma história sobre amor, compaixão e perdão!

- – HQ que fala sobre a importância de segundas chances foi classificada como “conteúdo impróprio”.

Por Cristiano Rantin → Censurada por Marcelo Crivella, atual prefeito do Rio de Janeiro, como “conteúdo sexual para menores”, a HQ Os Vingadores: A Cruzada das Crianças, publicada pela primeira vez em 2011, apresenta apenas uma página com um beijo entre o casal Wiccano e Hulkling, em uma história que possui mais de duzentas páginas.

A HQ, que foca principalmente em temas como amor, perdão e segundas chances, teve até mesmo seu nome como alvo de críticas, com muitas pessoas afirmando que “cruzada” tinha conotação sexual, sendo ainda mais grave por se referenciar à “crianças” no título, mas é importante lembrar que, tanto na HQ como no dicionário, o sentido da palavra “cruzada” significa “luta” ou “guerra”.

Antes de começarmos a falar sobre a trama da história em quadrinhos, é importante situar essa aventura cronologicamente. Em Vingadores: A Queda vemos a Feiticeira Escarlate enlouquecer e assassinar alguns dos seus companheiros Vingadores, depois de descobrir que eles apagaram seus dois filhos da existência e depois mentiram pra ela sobre isso. Posteriormente seria revelado que Billy e Tommy, mais conhecidos como Wiccano e Célere dos Jovens Vingadores, eram na verdade a reencarnação dos filhos de Wanda, mas até esse momento ela não sabia disso.

Estando cada vez mais instável, tanto os Vingadores quanto os X-Men decidem por matar Wanda, mas ao descobrir isso Mercúrio, o gêmeo da heroína, estimula ela a criar uma realidade alternativa. Temos então a Dinastia M, um novo mundo onde tudo é perfeito para os mutantes e demais heróis, mas Wolverine começa a notar que aquele não é o “mundo real” e, depois de unir os heróis para lutarem contra a Feiticeira Escarlate, temos o derradeiro Chega de Mutantes. Com apenas três palavras, Wanda dizimou a raça mutante, apagando o Gene-X em milhares de pessoas e matando alguns mutantes no processo. Desde então o paradeiro da heroína era desconhecido.

Chega de Mutantes

Chegamos então em A Cruzada das Crianças, que começa com uma missão dos Jovens Vingadores enfrentando os “Filhos da Serpente” um grupo de fanáticos religiosos que pregam a moral, supremacia branca e fazem comentários extremamente homofóbicos. Usando seus poderes mágicos, Wiccano consegue derrotar todos os vilões, que estavam ameaçando explodir bombas atômicas. O uso dos seus poderes, no entanto, assusta os Vingadores, que temem estar lidando com alguém com o mesmo potencial destrutivo da Feiticeira Escarlate. Assim sendo, eles propõem – e não deixam muita escolha para Billy – que ele fique em quarentena até que um estudo seja feito sobre seus poderes.

Acontece que, mesmo antes de saber com total certeza que a Feiticeira Escarlate era sua mãe, Billy acredita na inocência de Wanda, teorizando que ela poderia estar sendo controlada por alguma força que fugia de seu controle. Com a ajuda dos Jovens Vingadores e do Magneto, Wiccano parte em uma jornada para encontrar a Feiticeira e entender tudo que aconteceu, talvez até conseguindo que ela ressuscite aqueles que morreram por sua causa.

Vemos o grupo chega no Monte Wundagore, na Trânsia, local onde a Feiticeira Escarlate nasceu, seguindo a orientação de Magneto, que acredita que aquele é um bom lugar para iniciar as buscas. Após a chegada de Mercúrio, que confronta seu pai, finalmente encontramos Wanda, que é empalada por uma estaca de madeira arremessada por Pietro. Os heróis descobrem então que aquela não era a verdadeira Wanda, mas sim um Destinobô, uma criação do perigoso Doutor Destino.

Seguindo a nova pista, Billy parte para Latvéria, onde realmente encontra Wanda – que revela que está pronta para se casar com o Doutor Destino, um homem pelo qual ela se apaixonou perdidamente. Antes que possamos nos recuperar do choque desta revelação, os Vingadores surgem e Wolverine tenta assassinar Wanda.Resultado de imagem para children's crusade marvel wanda and doom kiss

Na confusão, temos o retorno do Rapaz de Ferro, que leva os heróis de volta ao passado, fazendo com que Wanda consiga se lembrar de tudo que fez. Recuperando seus poderes no processo, a Feiticeira Escarlate assume total culpa e responsabilidade sobre seus atos, além de finalmente descobrir – com o auxílio dos seus poderes – que é realmente a mãe de Wiccano e Célere. Vemos, então a heroína seguindo em uma jornada para tentar corrigir seus erros. A bruxa consegue devolver a mutandade para Rictor, da X-Force, mas é atacada pelos X-Men antes que consiga fazer o mesmo com outros mutantes.

Fugindo de volta para Latvéria, Feiticeira Escarlate, Wiccano e Doutor Destino unem seus poderes para tentar lançar um feitiço de escala global, almejando reverter os efeitos da Dinastia M, mas são impedidos por Eli, o Patriota dos Jovens Vingadores, que arruína o feitiço e quase mata Wanda com uma flecha.

Ao invés de salvar o mundo, a interrupção do herói faz com que toda a magia seja canalizada no Destino, que se torna uma espécie de divindade capaz de manipular toda a realidade. Surpreendendo ninguém, ele se revela como um vilão, planejando moldar o mundo à sua imagem, governando todos como seu soberano.

Antes que os Jovens Vingadores possam tentar resolver a situação, eles são atacados novamente pelos X-Men, que conseguem incapacitar Wanda. Mesmo descobrindo que ela realmente está tentando recuperar os poderes dos mutantes, Ciclope diz que eles deveriam prender Wanda, como uma punição pelas mortes que ela causou.

Seguimos então para um dos melhores momento de toda a HQ, com o discurso de Billy apontando toda a hipocrisia dos heróis.

“Então, o que devemos fazer, Célere?” pergunta Ciclope. “Receber Wanda de volta e dizer: ‘Está tudo bem. Sei que você não fez por mal. Pode ser uma vingadora de novo, e nós vamos simplesmente fingir que você não assassinou pessoas e destruiu milhões de vidas’? É isso que devo fazer?” 

O líder dos X-Men é interrompido por Wiccano, que diz:

“Sim. Afinal, Magneto matou incontáveis milhares… E você transformou ele num X-Man. A Dona Frost era a Rainha do Clube do Inferno… E uma Assassina. Vampira era uma terrorista da Irmandade dos Mutantes. Gambit era membro da Liga dos Ladrões. E Magnum, Homem-Formiga, Gavião Arqueiro e o Visão começaram do lado errado da lei… Mas pessoalmente eu não consigo imaginar os Vingadores sem eles. E quantas vezes um de vocês não foi possuído por um espírito maligno… Ou foi controlado mentalmente e forçado a fazer coisas que nunca faria… A machucar pessoas… A matar pessoas… Até pessoas que vocês amam? Não estou dizendo que devia fingir que nunca aconteceu. Mas acho que devia avaliar o quadro geral. Apesar dos seus crimes, Wanda Maximoff salvou vidas… e salvou o mundo… provavelmente mais vezes do que sabemos. Ela provou ser uma heroína várias vezes. E o que aconteceu com ela pode acontecer com cada um de nós algum dia, se já não aconteceu. A pergunta é: Como vocês querem ser tratados quando acontecer com vocês?” 

Antes que eles possam resolver alguma coisa, os heróis são novamente interrompidos por Doutor Destino, que surge dizendo que Wanda deveria ser tratada com perdão, uma vez que os poderes que ela estava controlando eram fortes demais, sendo praticamente impossível conservar a sanidade. O vilão também chega oferecendo dádivas – incluindo a ressurreição dos heróis mortos – caso todos se curvem e o aceitem como soberano. Obviamente isso não dá muito certo e um novo confronto se inicia. Como costuma acontecer nos quadrinhos, o vilão é derrotado, mas não sem antes matar Estatura, a Jovem Vingadora Cassie Lang.

Resultado de imagem para children's crusade marvel kissTudo termina com Wanda chorando com seus filhos e aliados, depois que os X-Men vão embora dizendo que ela nunca será perdoada, mas que deve passar todos os seus dias tentando consertar o que fez. É só depois disso tudo, inclusive dos Jovens Vingadores decidindo dar um tempo na equipe, que vemos o painel com Wiccano e Hulkling se beijando, com os dois sendo interrompidos por Ms. Marvel para uma cerimônia dos Vingadores, que encerra a HQ.

Em termos gerais, ainda que tenha momento bacanas, a Cruzada das Crianças não chega a ser uma das melhores histórias da Marvel. Em um determinado momento todas as brigas que interrompem os heróis se torna extremamente cansativa, mas o tema central da trama é muito relevante.

Na HQ temos um jovem lutando por sua família, tentando proteger uma mulher que errou no passado, mas que não deveria ser morta por isso. Apesar de toda a pancadaria que acontece, tudo pode ser resumido como uma história de compaixão, perdão e segundas chances, especialmente quando, como o próprio Billy recorda, todos eles já cometeram crimes. Todos os heróis que se unem para matar ou punir a Feiticeira Escarlate já pecaram bastante, e não possuem moral ou algo do tipo para julgar ou punir Wanda, algo bem parecido com a passagem bíblica que diz “Quem dentre vós não tiver pecado, que atire a primeira pedra”.

É importante lembrar que os Jovens Vingadores apareceram pela primeira vez ainda em 2005 e desde então temos Billy e Teddy como um casal, mas que apenas em 2011, na Cruzada das Crianças, é que tivemos o primeiro beijo “em cena” dos dois. Mais importante ainda é ressaltar que isso está longe de ser pornográfico ou impróprio, como foi taxado pelo governante do Rio. Os dois rapazes aparecem totalmente vestidos, em um momento bastante fofo.

A censura do Rio fica ainda mais absurda quando levamos em conta todos os acontecimentos que vemos nos quadrinhos. Temos diversos exemplos sobre a sexualização de diversas heroínas, que aparecem com trajes minúsculos e poses anatomicamente impossíveis e extremamente gráficas, além dos vários momentos mais quentes que mostram o sexo – ainda que não seja de forma tão gráfica – entre heróis heterossexuais.

O ponto é que tudo isso foi motivado por homofobia, uma vez que foi o beijo entre dois rapazes que causou tudo isso, mesmo que outros livros e HQs com conteúdo sexual explícito estejam à venda na Bienal, como diversos autores já relataram, sem que haja nenhum tipo de polêmica nisso. É só lembrar de Cinquenta Tons de Cinza e diversos outros livros popularmente chamados de “soft-porn”, que há alguns anos figuravam entre os mais bem vendidos, e apesar de todas as cenas de sexo extremamente gráficas, nunca foi alvo de polêmicas como a Cruzada das Crianças está sendo.

É importante lembrar que recentemente a homofobia foi reconhecida pelo Supremo Tribunal Federal como crime, e que nossa constituição deixa extremamente claro que censura é crime. Ao censurar a HQ e, no dia seguinte enviar agentes da prefeitura à Bienal em busca de livros considerados pelo prefeito de “conteúdos impróprios”, focando principalmente em livros com conteúdo LGBT, fica clara a barbárie do governo, que evoca em nossas mentes tempos tão terríveis da história da humanidade.

É inadmissível que isso aconteça em pleno 2019, assim sendo, termino esse texto com um apelo: Censura nunca mais.

Veja também: Os Eternos – Filme apresentará o primeiro personagem abertamente homossexual do MCU!

 

Imagem de perfil
sobre o autor Cristiano Rantin

Jornalista, bruxo e leitor apaixonado II Twitter: @ChrisRantin

"Eu sou o fogo e a vida encarnados. Agora e para sempre eu sou a Fênix!"