Capa da Publicação

Mestres das Trilhas Sonoras – Hans Zimmer!

- – Uma carreira recheada de sucessos!

Por Guilherme Souza Como dito no artigo sobre John Williams, as trilhas sonoras são uma parte extremamente importante dos filmes e são muitos os profissionais responsáveis pela criação dessas melodias marcantes, por isso, falaremos hoje de outro grande compositor, sendo ele um dos mais aclamados pelos fãs de cultura Pop: Hans Zimmer.

Nascido na Alemanha, Zimmer se tornou um dos mais conceituados compositores e produtores musicais de Hollywood e seu trabalho se estende por diversas produções icônicas, mantendo um nível de trabalho tão alto quanto o de Williams. 

Desde o princípio, o talento de do compositor para a música ficou evidente, mesmo tendo sido expulso de oito escolas diferentes e admitindo não gostar de estudar piano formalmente. 

Zimmer iniciou sua carreira como tecladista e tocando sintetizadores para as bandas Ultravoz e The Buggles, declarando que a música sempre fez parte de sua vida e que a chegada dos computadores também foram uma parte importante de seu sucesso. Além disso, ele também tem Ennio Morricone, outra grande lenda das trilhas sonoras cinematográficas, como uma de suas maiores inspirações.

Nos anos 80, Zimmer se uniu a Stanley Myers, para fundar o estúdio de gravações chamado Lillie Yard. Juntos, eles começaram a trabalhar na fusão de músicas feitas por orquestras tradicionais com sons eletrônicos sintéticos, começando assim a jornada de Zimmer com o cinema. 

O ponto de virada na carreira de Zimmer se deu com o filme Rain Man, no qual o compositor recebeu sua primeira indicação ao Oscar. Desse momento em diante, ele ficou cada vez mais evidência, assumindo grandes trabalhos da indústria. 

Anos depois de Rain Man, chegou a vez de Zimmer ser contratado pela Disney para assumir a trilha sonora de O Rei Leão, que viria a ser um dos trabalhos mais consagrados de sua carreira. Durante seu trabalho no longa, Zimmer queria visitar a África do Sul, como uma forma de se aproximar mais da cultura e dos sons do país, porém estava sendo procurado no país por conta de seu trabalho no filme O Poder de um Jovem, o que impossibilitou sua ida até lá. 

Mesmo com os empecilhos, a Disney conseguiu arranjar um encontro entre Zimmer e o cantor Lebo M., resultando na gravação da música de abertura do filme. O trabalho do compositor em O Rei Leão foi extremamente elogiado, fazendo com que ele levasse para casa o Oscar de Melhor Trilha Sonora, além de ser um consenso entre os fãs de que essa é uma das trilhas mais marcantes das animações Disney. 

Nos anos 2000, a carreira de Zimmer decolou cada vez mais, permitindo que ele participasse de filmes como Gladiador, O Código Da Vinci, Piratas do Caribe, Pearl Harbor, Madagascar, O Príncipe do Egito, O Caminho para El Dorado, Spirit: O Corcel Indomável e tantos outros, mas o grande destaque da década ficou por conta de Batman Begins, o primeiro filme de super-heróis no currículo do compositor

Ao realizar seu primeiro trabalho com Christopher Nolan, Zimmer se tornou um dos queridinhos dos fãs de filmes baseados em histórias em quadrinhos, criando uma atmosfera jamais vista nos filmes do Batman, adicionando mais profundidade e realismo às produções. Com isso, Zimmer e Nolan também iniciaram uma parceria que se estenderia por diversos outros trabalhos do cineasta, incluindo Interestelar, A Origem e Dunkirk

Os trabalhos de Zimmer em filmes de super-heróis não se resumiram somente à trilogia do Batman de Nolan, incluindo também O Homem de Aço, O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro e Batman vs Superman: A Origem da Justiça, mas com todos esses filmes sendo verdadeiros fracassos de crítica, o compositor chegou a declarar em 2016 que não iria mais produzir trabalhos para filmes de super-heróis, algo que deixou os fãs extremamente desapontados. 

Felizmente (ou não), Zimmer revogou sua declaração anterior, ao aceitar retornar para os filmes baseados em super-heróis com X-Men: Fênix Negra, contudo, o último longa dos mutantes produzidos pela Fox antes de ser comprada pela Disney também foi um fracasso tremendo de crítica e público. 

Por sorte, Zimmer está escalado para trabalhar em Mulher-Maravilha 1984, novo filme solo da Princesa das Amazonas, que pode ser a chance de quebrar essa onda de insucessos que ele tem vivido com os filmes que adaptam histórias em quadrinhos nos últimos anos. 

Independente do que ele faça no futuro, Zimmer já se consagrou como um dos melhores compositores do mundo e ganhou uma legião de fãs, que lotam seus shows, onde ele conduz sua orquestra, que toca sucessos de seu vasto repertório.

Fique com imagens de Mulher-Maravilha 1984 em nossa galeria:

Imagem de perfil
sobre o autor Guilherme Souza

Outra grande manchete: 'Água, molhada!'